Freud e a homossexualidade feminina

Posted: 25.10.13 by Glauber Ataide in Marcadores:
0

Compartilho abaixo algumas das observações que encontrei pela obra de Freud sobre a homossexualidade feminina. Selecionei apenas três dos textos que estive estudando recentemente, mas há muitos outros.


FRAGMENTO DA ANÁLISE DE UM CASO DE HISTERIA (1905)

"Há muito se sabe e já se tem assinalado que, na puberdade, com freqüência, tanto os meninos quanto as meninas, mesmo nos casos normais, mostram claros indícios da existência de uma inclinação para pessoas do mesmo sexo. A amizade entusiástica por uma colega de escola, acompanhada de juras, beijos, promessas de correspondência eterna e toda a sensibilidade do ciúme, é o precursor comum da primeira paixão intensa de uma moça por um homem. Em circunstâncias favoráveis, a corrente homossexual amiúde seca por completo, mas, quando não se é feliz no amor por um homem, ela torna a ser despertada pela libido nos anos posteriores e é aumentada em maior ou menor intensidade. Se nas pessoas sadias isso pode ser confirmado sem esforço e se levarmos em conta nossas observações anteriores (ver em [1] e [2]) sobre o maior desenvolvimento, nos neuróticos, dos germes normais da perversão, devemos também esperar, na constituição destes, uma predisposição homossexual mais forte. E deve ser assim, pois até hoje nunca passei por uma só psicanálise de um homem ou de uma mulher sem ter de levar em conta uma corrente homossexual bastante significativa. Nas mulheres e moças histéricas cuja libido sexual voltada para o homem é energicamente suprimida, constata-se com regularidade que a libido dirigida para as mulheres é vicariamente reforçada e até parcialmente consciente."

A PSICOGÊNESE DE UM CASO DE HOMOSSEXUALISMO NUMA MULHER (1920)

"Sabe-se bem que, mesmo em uma pessoa normal (1), leva algum tempo antes de se tomar finalmente a decisão com referência ao sexo do objeto amoroso. Entusiasmos homossexuais, amizades exageradamente intensas e matizadas de sensualidades são bastante comuns em ambos os sexos durante os primeiros anos após a puberdade."

SEXUALIDADE FEMININA (1931)

"Antes de tudo, não pode haver dúvida de que a bissexualidade, presente, conforme acreditamos, na disposição inata dos seres humanos, vem para o primeiro plano muito mais claramente nas mulheres do que nos homens. Um homem, afinal de contas, possui apenas uma zona sexual principal, um só órgão sexual, ao passo que a mulher tem duas: a vagina, ou seja, o órgão genital propriamente dito, e o clitóris, análogo ao órgão masculino. Acreditamos que estamos justificados em supor que, por muitos anos, a vagina é virtualmente inexistente e, possivelmente, não produz sensações até a puberdade."

Notas

1) O que Freud quer dizer por "pessoa normal" não se relaciona com a homo\heterossexualidade. Freud nunca considerou a homossexualidade uma "anormalidade" ou uma doença. No contexto do qual esta citação foi extraída ele se refere a neuroses de forma geral, e seu objetivo é justamente mostrar que pessoas heterossexuais e não acometidas de nenhuma neurose também oscilam, durante a vida, entre objetos doe ambos os sexos. 

0 comentários: