Dificuldades em fazer uma abertura lateral

Posted: 30.7.16 by Glauber Ataide in Marcadores:
0

Dificuldades em fazer uma abertura lateral

Por Thomas Kurz

Este é o segundo artigo que apareceu na minha coluna sobre treinamento na edição de maio de 1999 da revista Taekwondo Times.

No primeiro artigo da coluna Stretch Yourself você aprendeu como determinar se você tem potencial para fazer uma abertura lateral, mesmo antes de iniciar seu programa de alongamento. Você também aprendeu que para muitos adultos, a abertura lateral ainda é muito difícil, mesmo tendo passado no teste de abertura lateral. Em um certo ponto, bem antes de chegarem a uma abertura total, eles sentem um "pare" acompanhado por dores na parte externa do quadril ou na parte superior da coxa, a qual os impede de completar uma abertura total. Neste artigo você aprenderá o que causa esta dor e o que fazer quanto a isso.

O problema não parece estar relacionado aos adutores (músculos internos das coxas), já que estas pessoas não sentem muita tensão ali. Ao que eles continuam alongando, sua flexibilidade de fato melhora, mas muito lentamente.

Esta barreira é muito comum para pessoas que começam a alongar já adultas. A dor e a limitação do movimento para o lado na abertura lateral é causada ao se abrir (abduzir) as coxas sem inclinar a pélvis para a frente. Esta inclinação alivia os ligamentos capsulares do quadril, entre eles o ligamento pubofemoral que em uma posição normal, não-flexionada, resistiria a uma abdução excessiva e iria também, durante uma abdução reta, empurrar o pescoço (ou colo) do fêmur para dentro do labrum acetabulare no canto superior do encaixe do quadril. Em pessoas nas quais o ângulo entre o pescoço (ou colo) e o eixo do fêmur é menor que 135º, a abdução sem o inclinamento da pélvis faz colidir o trocanter maior (um processo ósseo no topo do femo) contra o osso do quadril.


A inclinação da pélvis para frente (flexão do quadril) realinha suas juntas de forma que seus ligamentos relaxam, o pescoço (ou colo) do fêmur não colide com a cartilagem na parte superior do encaixe, e o trocanter maior se encaixa em um espaço através do encaixe do quadril. Este é o alinhamento de seus quadris na posição de montar cavalo quando feita corretamente, e é por isso que o alinhamento de seus quadris, coxas, partes inferiores da perna e dos pés em uma abertura lateral deve ser a mesma.



Esquerda - Posição inicial para uma abertura lateral com os pés apontando para frente.
Centro - Abertura lateral com os pés apontando para frente. As pernas são abertas lateralmente e a pélvis é inclinada para frente.
Direita - Abertura lateral com os pés apontando para cima. Os quadris estão  retos graças à rotação das coxas.

Observe que ao fazer uma abertura lateral com os dedos dos pés apontando para frente você não apenas abre as pernas lateralmente, mas também inclina a pélvis para frente. Em uma abertura lateral com os pés apontando para cima, você mantém a pélvis reta mas gira as coxas para fora. O alinhamento dos quadris e das coxas em ambos os tipos de abertura é o mesmo.

Outra forma de encontrar o alinhamento correto é usar a posição de montar cavalo como a posição inicial de seus alongamentos isométricos levando à abertura lateral. Apenas certifique-se de que sua posição está correta, com suas coxas paralelas ao chão a qualquer distância, com os dedos dos pés apontando para frente, e o peito estufado.

Para fazer uma posição em cinco passos fique em estado de atenção (pés lado a lado), e então vire os seus calcanhares para fora (um passo), então gire para fora os dedos dos pés (dois passos), então os seus calcanhares novamente (três passos), então gire para fora os dedos dos pés novamente (quatro passos), e então gire para fora os calcanhares (cinco passos).

Para resumir, você não pode fazer uma abertura lateral sem girar as coxas para fora ou inclinar a pélvis para frente. A rotação para fora ou a inclinação para a frente (flexão do quadril) alivia os ligamentos capsulares dos quadris, entre eles o ligamento pubofemoral, o qual resiste a abduções excessivas. Abrir as pernas sem estes movimentos adicionais torce e aperta os ligamentos do quadril e empura o pescoço (ou colo) do fêmur para dentro do colar de cartilagem no canto superior do encaixe do quadril. Para pessoas com coxa vara (com um ângulo menor que 135º entre o pescoço e o eixo do fêmur), abduzir a coxa sem inclinar a pélvis empurra o trocanter maior contra o osso do quadril sobre o acetabulum (a cavidade da junta do quadril).

Este choque do pescoço (ou colo) do fêmur com a cartilagem ou do trocanter maior com os ossos do quadril é a causa da dor e do limite do movimento para o lado, tanto na abertura lateral, quanto no chute lateral alto.

Se a parte de fora dos seus quadris doem quando você dá chutes altos laterais, então você precisa aprender a inclinar a pélvis no momento do chute. A mesma inclinação para frente da pélvis que ajuda a fazer a abertura lateral lhe permite levantar a perna mais alto para o lado, pois a razão da dor e a limitação no movimento para o lado é a mesma tanto nos chutes laterais quanto na abertura lateral. No próximo artigo você aprenderá a testar se suas juntas e os músculos de suas coxas e quadris lhe permitem fazer uma abertura frontal.

0 comentários: